Dulce Neto

Dulce Neto
A paixão pelo jornalismo nasceu na Rádio Universidade de Coimbra, cresceu no Jornal de Coimbra, amadureceu no Público a partir de 1990 onde se manifestou durante 19 anos a vários níveis desde a reportagem à edição ou à direcção executiva. Continuou na Sábado em 2009, onde foi subdirectora e renovou-se agora, com a MAGG. No meio de tantas palavras ainda houve espaço para dois livros, Difícil é Sentá-los e Quem Só Espera Nunca Alcança.