Rodopio

de

16,00€ 14,40€*

Em regra marcadas pelo desfecho imprevisto, estas histórias proporcionam o que um livro mais pode desejar: o prazer da leitura. 


PORTES: GRÁTIS DISPONIBILIDADE: Em Stock DESCONTO IMEDIATO DE 10% * DESCONTO VÁLIDO PARA O DIA 13/12/2019 Sobre preços e promoções consulte as nossas Condições Gerais de Venda.
ISBN: 9789897245060 Edição ou reimpressão: Novembro de 2019 Páginas: 252 Dimensões: 23.50 x 15.50 x 0.00 cm Peso: 300 Categoria: Temática:

O amor acontece em todo lado, sobretudo na vida dos protagonistas destas histórias, homens e mulheres normais a quem sucedem encontros extraordinários. Há paixões que nascem em bancos de jardim, e logo são inscritas no tronco de uma árvore, à mesa de estabelecimentos comerciais, na praia, a bordo de um avião ou mesmo no trânsito. Algumas são eternas, e delas nascem casamentos e outras arrelias; outras estão condenadas como as árvores do parque onde foram inscritos os nomes dos enamorados. Também há histórias de amizade e companheirismo, enredos com laivos de intriga policial e outros de tragédia grega.

Os contos, crónicas e romances de Mário Zambujal conquistaram os leitores pelo seu estilo singular, marcado pelo humor e pela irreverência, uma originalidade que não se perde na diversidade da obra. Este livro reúne textos escritos ao longo dos anos para várias publicações, incluindo a revista Tempo Livre e o Diário de Notícias. A obra fecha com o texto da comunicação de Mário Zambujal no Encontro de Escritores de Língua Portuguesa na cidade de Natal (Brasil) inserida no tema «Erotismo e Pornografia». Perante uma plateia de centenas de universitários e participantes de todas as idades, o texto escrito e lido por Mário Zambujal recebeu entusiásticos aplausos. 


EXCERTO
«— Não me parece nada um homem triste e deprimido, como diz o Luciano. Ao contrário, Idalino, vejo alguém contente com a vida. E é delicioso ouvi-lo, nem vou recolher as pernas embora sinta os seus joelhos a roçar nos meus. Ai que tonta! Eu não devia dizer isto, pois não?
— Devia, sim. Aumentou ainda mais a felicidade que encontrei ao vê-la esta manhã. E permita-me dizer: os seus joelhos são extremamente sensuais. 
Igualmente calorosos se seguiram mais dois encontros a quatro, no Sábado e no Domingo seguintes. A evolução dos acontecimentos, descrita com os pormenores próprios das inquietudes humanas, exigiria espaço bem mais amplo…»